RANCHO 2N | RÉDEAS - REGRAS

Veja os Percursos
 

CAPÍTULO - I INTRODUÇÃO

Artigo 1º - A finalidade deste Regulamento é avaliar o grau de aprimoramento e desenvolvimento do Cavalo de Rédeas e, promovendo a prática da Equitação Rural, tendo em vista principalmente, a promoção e o adestramento do cavalo.

 

Artigo 2º - Este Regulamento será o único a ser utilizado em todas as competições da Associação Nacional do Cavalo de Rédeas - "A.N.C.R".

 

Artigo 3º - Competições de Rédeas patrocinadas por outras entidades somente serão oficializadas e reconhecidas pela A.N.C.R. caso se rejam por este Regulamento e sejam aprovadas previamente pela Diretoria em exercício da ANCR.

 

 

CAPÍTULO - II INSCRIÇÕES PARA TORNEIOS

Artigo 4º - Em todos os torneios da A.N.C.R.; as inscrições serão feitas em nome do proprietário atual do animal, que será responsável pela apresentação da documentação do animal, do cavaleiro, quando necessário, e do pagamento da taxa de inscrição que obrigatoriamente deve ser cobrada em todos os eventos.

 

Artigo 5º - As inscrições para os torneios terão seus preços, prazos prêmios estabelecidos pela entidade promotora e A.N.C.R.; através de circulares prévias, não sendo permitida a inscrição após o início das provas.

 

Parágrafo Único - O sorteio dos concorrentes será efetuado após o encerramento do prazo das inscrições. As inscrições realizadas fora do prazo estabelecido e até uma hora antes do início da competição, sofrerão um acréscimo de até 50%, e o concorrente será o primeiro a iniciar a prova, sendo as taxas revertidas em sua totalidade para a A.N.C.R. ou promotor do evento.

 

Artigo 6º - Todos os proprietários que estiverem se apresentando em Competições Oficiais da A.N.C.R., devem ser sócios da mesma e estarem em dia para com a tesouraria. Cada sócio receberá um número de identidade o qual deve ser usado em todas as comunicações oficias com a A.N.C.R bem como quando o associado for se inscrever em eventos da Associação.

 

Parágrafo 1º - No caso de dois ou mais proprietários (como relacionado no Certificado de Registro) os mesmos devem associar-se individualmente.

 

Parágrafo 2º - No caso do cavalo ser de propriedade de um pessoa jurídica, deverá ser indicado o seu representante e este terá estendido aos seus familiares os mesmos direitos constantes no Artigo 53º Condições de Amador;

 

Artigo 7º - Um cavaleiro poderá se inscrever em tantas categorias quantas tiver direito, conforme Artigo 12º, pagando sua inscrição em cada categoria.

 

Parágrafo 1º - Quando um cavaleiro for participar das categorias Aberta e Aberta Limitada, o mesmo correrá uma única vez, valendo este resultado para sua classificação em ambas categorias. O mesmo se dará nas Categorias Amador e Amador Limitado;

 

Parágrafo 2º - Um cavaleiro não poderá apresentar mais de quatro animais em uma mesma categoria; e

 

Parágrafo 3º - Um cavalo poderá ser apresentado somente uma vez na Categoria para o qual estiver inscrito.

 

Artigo 8º - Todos os formulários de inscrição deverão identificar corretamente e verdadeiramente o cavalo, o proprietário e/o cavaleiro. Os dados declarados no formulário de inscrição, identificadores do cavalo, do proprietário, bem como do cavaleiro, serão de inteira responsabilidade de quem efetuar a inscrição.

 

Artigo 9º - Se um cavaleiro apresentar mais de um cavalo na mesma categoria, sua apresentação deverá ser intercalada por duas outras apresentações de terceiros no mínimo. Se um competidor perder sua vez como determinado pelo sorteio, ele será desclassificado daquela rodada, exceto para os casos onde existam circunstâncias incomuns e verdadeiramente inevitáveis. Cada caso será julgado no seu mérito pelo juiz ou juizes.

 

Artigo 10º - Os documentos obrigatórios para inscrição do animal são:
a) Licença para Competição - Esta licença será exigida para todos os animais que participarem da Competição Oficial da A.N.C.R.. Os formulários estarão à disposição no Escritório da Associação e em todas as apresentações oficiais. Esta licença para Competição deve ser apresentada (Original ou Fotocópia), ao Secretário que estiver recebendo as inscrições. Uma taxa determinada pela Diretoria de A.N.C.R será cobrada para a emissão da Licença Original e para a segunda via.

 

b) Xerox simples do Registro no Stud Book da raça especifica do animal, frente e verso, deve ser apresentada junto com o formulário de Licença para Competição.

 

c) No caso de cavalo sem registro, deve ser apresentada junto com a Licença para Competição, fotos de frente, da parte posterior e de cada um dos lados que serão verificadas e resenhadas no dia da competição.
 

d) Atestados Sanitários exigidos pelos Órgãos Oficiais.

 

Artigo 11º - Toda inscrição enganosa ou falsa afirmação constante do formulário de Licença para Competição constituirão em conduta anti-esportiva, ficando o proprietário e o competidor sujeitos à ação disciplinar além de desclassificação do animal conforme os Estatuto Sociais da A.N.C.R.

 

CAPÍTULO - III CLASSIFICAÇÃO DAS CATEGORIAS/TORNEIOS

 

Artigo 12º - Em todos os torneios serão abertas inscrições para as seguintes categorias de competidores:

a) Aberto: Todos os cavaleiros que totalizaram 40pontos no ranking do art.17 deste Regulamento;

b) Aberto Limitado: Todos os cavaleiros que não totalizaram 40 pontos no ranking do art. 17 deste Regulamento;

c) Amador: Todos os cavaleiros que totalizaram 25 pontos no ranking do art. 17 deste Regulamento; e

d) Amador Limitado: Todos os cavaleiros que não totalizaram 25 pontos no ranking do art. 17 deste Regulamento.

e) Jovem: Exclusivo para competidores com até 15 (quinze) anos de idade.

f) Principiante: Exclusivo para todas as pessoas que não tenham treinado, ensinado ou assistido direta ou indiretamente o treinamento de um cavalo visando remuneração ou qualquer compensação, não estando incluídos prêmios recebidos em competição de rédeas, ou que não tenham participado de provas de rédeas em outra categoria em qualquer associação. O principiante poderá competir com quaisquer cavalos, sejam ou não de sua propriedade pelo prazo de 01 (um) ano hípico, desde que em anos hípicos anteriores, não tenha participado de mais de duas competições nesta categoria. O competidor que participar de alguma prova em outra qualquer categoria perderá a condição de Principiante. O competidor retornará à condição de Principiante se durante 03 (três) anos consecutivos, não tenha treinado, ensinado ou assistido direta ou indiretamente o treinamento de um cavalo visando remuneração ou qualquer compensação, não estando incluídos prêmios recebidos em competição de rédeas, ou que não tenha participado de provas de rédeas em outra categoria ou na categoria Principiante, em qualquer associação.

g) Feminino - Exclusivo para competidores do sexo feminino, independente de idade.

 

Parágrafo 1º - A data base para o cômputo e enquadramento nas respectivas categorias, será o dia 1º/07 de cada ano e será válido para participação no ano hípico seguinte, contado de 1º/07 daquele ano a 30/06 do ano seguinte..

 

Parágrafo 2º - A pontuação dos cavaleiros, será realizada de acordo com a tabela determinada no art. 17º.

 

Parágrafo 3º - Para efeito de pontuação valerão tão somente os pontos obtidos pelo competidor nas Categorias Aberto e Amador.

 

Artigo 13º - As seguintes classes são recomendadas para os torneios de rédeas:

 

Parágrafo 1º - Snaffle Bite ou Hackamore: Esta classe está sujeita as condições gerais, mas limitada a cavalos de 03 (três) anos de idade hípica, a serem apresentados em um Hackamore ou bridão. É absolutamente proibido o uso de partes metálicas no maxilar e ou focinho do cavalo em conexão com o hackamore. Os cavaleiros poderão apresentar estes animais com as duas mãos nas rédeas.

 

Parágrafo 2º - Freestyle - tal como definido no ANEXO I deste Regulamento. Para cavalos de qualquer idade hípica podendo o cavaleiro apresentá-los com as duas mãos nas rédeas independentemente da embocadura usada.

 

Parágrafo 3º - Os cavaleiros pertencentes as categorias Jovem e Principiante podem apresentar os animais com as duas mãos nas rédeas mesmo quando apresentados com freio.

 

Artigo 14º - A A.N.C.R. promoverá obrigatoriamente e anualmente os seguintes eventos:

 

Parágrafo 1º - A.N.C.R Super Stakes - Exclusivo para animais com quatro e cinco anos hípicos. Classes: Amador / Amador Limitado - Aberto / Aberto Limitado.

 

Parágrafo 2º -A.N.C.R. Derby - Exclusivo para animais com quatro e cinco anos hípicos. Classes: Amador / Amador Limitado - Aberto / Aberto Limitado.

 

Parágrafo 3º - A.N.C.R. Potro do Futuro de Rédeas - Exclusivo para animais com três anos hípicos. Classes: Amador / Amador Limitado - Aberto / Aberto Limitado.

 

Parágrafo 4º - A.N.C.R. Campeonato Nacional de Rédeas e Livre, para animais com qualquer idade hípica. Classes: Amador / Amador Limitado - Aberta / Aberta Limitado.

 

CAPÍTULO IV TÍTULOS OFICIAIS DA A.N.C.R

 

Artigo 15º - A A.N.C.R. conferirá o Título de Tríplice coroado ao animal ganhador dos 03(três) eventos especiais: A.N.C.R. Potro do Futuro (obtido com 03 anos hípicos) A.N.C.R. Super Stakes (obtido com 04 anos hípicos) e A.N.C.R. Derby (obtido com 04 anos Hípicos) nas suas respectivas categorias.

 

Artigo 16º - A A.N.C.R. emitirá certificados de habilidade para os animais que atingirem nas categorias aberta e amador a pontuação abaixo:

a) Certificado de Habilidade "Bronze"- 10 pontos;
b) Certificado de Habilidade "Prata"- 20 pontos;
c) Certificado de Habilidade "Ouro"- 40 pontos;

 

Parágrafo 1º - Os pontos para obtenção dos Certificados de Habilidade somente serão contabilizados em provas oficiais ou oficializadas pela ANCR.

 

Parágrafo 2 - Os pontos ganhos por animal serão computados de acordo com a tabela constante no Artigo 17º deste Regulamento de acordo com o resultado de cada categoria (Aberta, Amador).

 

Parágrafo 3º - A A.N.C.R. emitirá os Certificados de Habilidade independentemente de solicitação ou ônus e enviará ao proprietário do animal.

 

Artigo 17º - A pontuação dos resultados dos Torneios de Rédeas será proporcional ao número de animais inscritos em cada categoria de acordo com a seguinte tabela:

Qtde. de animais participantes

1ºLugar 

2º Lugar

3º Lugar

4º Lugar

5º Lugar

6º Lugar

7º Lugar

8º Lugar

9º Lugar

10º Lugar

Até 02 ½ 
De 01 a 05 1 ½ 
De 06 a 09 2 1 ½ 
De 10 a 13 3 2 1 ½ 
De 14 a 17 4 3 2 1 ½ 
De 18 a 21 5 4 3 2 1 ½ 
De 22 a 25 6 5 4 3 2 1 ½ 
De 26 a 29 7 6 5 4 3 2 1 ½ 
De 30 a 33 8 7 6 5 4 3 2 1 ½ 
Acima de 34 9 8 7 6 5 4 3 2 1 ½

 

CAPÍTULO V JUIZES

Artigo 18º - A A.N.C.R., elaborará anualmente uma lista de "Juizes Qualificados pela ANCR", , que sejam reconhecidos como tecnicamente capazes e moralmente inatacáveis para atuarem como juizes nas competições promovidas pela A.N.C.R., ou por ela reconhecidas e aprovadas.


Artigo 19º - Os juízes serão classificados segundo os seguintes níveis e critérios:
a) Nível A1 - Juizes estagiários qualificados pela ANCR que tenham participado e sido aprovados em cursos.
b) Nível 2 - Juizes qualificados pela ANCR classificados no Nível A1 que tenham auxiliado juizes A2 ou A3 ou A4 em provas oficiais ou reconhecidas pela ANCR
c) Nível A3 - Juizes qualificados pela ANCR classificados no Nível A2 que tenham participado e sido aprovados em cursos monitorados por juizes oficiais da NRHA e por ela indicados para este fim e oficializados pela NRHA e oficiais da NRHA (National Reining Horse Association)
d) Nível A4 - Juizes classificados no Nível A3 com participação como competidor em pelo menos 10 provas oficializadas pela ANCR e com no mínimo 25 pontos obtidos na classe Aberta segundo Ranking da ANCR

 

Parágrafo 1º - Aqueles que forem qualificados nos testes acima, terão seus nomes submetidos a Diretoria Executiva para aprovação final.

 

Parágrafo 2º - Todos os juizes já qualificados pela ANCR e que não tenham julgado nenhuma prova oficial pela ANCR no período de um ano deverão ser submetidos a novos testes de classificação.

Artigo 20º - Um cavalo não poderá ser julgado por um juiz se este foi proprietário ou treinador daquele cavalo, no período de 45 (quarenta e cinco) dias, anteriores à competição em que for inscrito

Parágrafo Único - Verificada qualquer das hipóteses tratadas neste artigo, o animal será excluído da competição e a respectiva taxa de inscrição devolvida.

Artigo 21º - Um juiz não pode julgar ou ser julgado por outro juiz a quem ele julgou ou com ele participou de julgamento de uma mesma competição.

Artigo 22º - A Diretoria da A.N.C.R. determinará sempre que julgar necessário, a avaliação ou reavaliação dos juizes, podendo, para tanto nomear um Comitê de Juizes.com este fim específico.

Artigo 23º - A Diretoria Executiva ou o Comitê de Juizes da Associação, pode solicitar por escrito, que qualquer juiz se submeta ao seminário e ao teste para juizes, cujos resultados serão enviados à Diretoria Executiva para avaliação.

Artigo 24º - O Comitê de Juizes se designado, submeterá seu relatório a Diretoria Executiva da A.N.C.R., não estando autorizado a punir juizes em qualquer conduta; poderá apenas solicitar que o juiz seja novamente submetido ao teste em nota escrita no prazo de 60 (sessenta) dias.

Artigo 25º - A Diretoria Executiva, agindo de acordo com a recomendação do Comitê de Juizes, através de um relatório representativo e/ou reclamação de um sócio, pode em qualquer momento afastar um juiz de seu quadro. O juiz envolvido será convidado a assistir a reunião da Diretoria Executiva a fim de apresentar sua posição.

Artigo 26º - O número de juizes para cada competição será determinado pela Diretoria da A.N.C.R.

Artigo 27º - Os juizes deverão ter em mente que enquanto estiverem julgando eles são representantes da Associação. É recomendável que juizes se vistam apropriadamente a fim de representar favoravelmente suas posições.

Artigo 28º - Um juiz não deverá comparecer às áreas de apresentação antes do horário estabelecido para a entrada, exceto se for solicitado pela administração da apresentação.
Os juizes deverão evitar conversar com os proprietários, treinadores, exibidores ou agentes antes ou durante o evento autorizado da associação..

Artigo 29º - Um juiz deve apresentar por escrito à Diretoria da ANCR qualquer queixa que eles possam ter contra os competidores, apresentadores ou proprietários a qual será avaliada de acordo com a seção de procedimentos disciplinares dos Estatutos Sociais da A.N.C.R. pela Diretoria da ANCR

Artigo 30º - Se qualquer associado testemunhar uma queixa contra um juiz ele(a) deve relatar tal fato imediatamente a Diretoria da Associação. Tal relatório deve ser elaborado por escrito e deve ser acompanhado pela taxa de protesto estabelecida em dobro do valor da inscrição da categoria do reclamante,. em até de 10 (dez) dias da data de encerramento da apresentação envolvida. Todas as queixas serão avaliadas de acordo com a Seção de Procedimentos Disciplinares dos Estatutos Sociais da A.N.C.R.

Artigo 31º - Um juiz deverá ter uma conduta apropriada. Qualquer má conduta por parte do juiz nas áreas de apresentação ou durante a apresentação, tais como: ingerir bebidas alcoólicas imediatamente, ante da apresentação ou durante a competição, usar linguagem abusiva, ou qualquer outra atitude imprópria a alguém de sua posição, fará com que ele esteja sujeito a um interrogatório completo e imparcial sobre a causa da reclamação.

Artigo 32º - Um juiz que se encarrega da obrigação de oficiar um evento autorizado pela A.N.C.R. é responsável por cumprir aquele compromisso. Se por alguma razão ele não estiver apto a oficiar, solicita-se que ele providencie uma substituição qualificada e leve ao conhecimento da Diretoria da Associação. Se houver falhas, por qualquer razão, estas resultarão na suspensão imediata dos privilégios de julgamento.

 

CAPÍTULO VI REGRAS DE JULGAMENTO E COMPETIÇÃO

 

Artigo 33º - As regras de julgamento e de competição estão determinadas no presente Regulamento, incluindo o caderno de "Regulamento e Percursos - 2001 - ANCR", juntado como ANEXO I ao presente Regulamento, dele fazendo parte para todos os efeitos.

Parágrafo Único - A marcação de pontos será feita na base de 0 - infinito, com 70 (setenta) denotando um desempenho mediano. Os pontos serão anunciados depois da apresentação de cada cavalo.

Artigo 34º - Nos desempates para definição do primeiro lugar será utilizado o mesmo percurso e ordem de entrada; entretanto, não haverá mais do que um desempate decisivo,;

Parágrafo Único - Um cavalo que não retornar para a corrida de desempate perderá o direito ao prêmio de 1º lugar e será agraciado com o prêmio de 2º lugar. O desempate não será exigido para o 1º lugar no Snaffle Bit ou no Hackamore Reining. Os competidores desclassificados em um desempate não podem ser colocados abaixo da posição mais baixa para a qual eles foram empatados. Por exemplo: 1º, 2º e 3º colocados, no caso de uma desclassificação, o cavalo seria colocado em 3º. Todos os outros empates permanecerão e envolverão "tanta posições quanto for o número de cavalos". Por exemplo: 4º, 5º, 6º, 7 º. O prêmio em dinheiro no exemplo anterior é somado e rateado igualmente entre os 4 colocados.

Artigo 35º - A Diretoria da A.N.C.R. determinará o número de passadas, entretanto não haverá mais do que três passadas. As finais são consideradas passadas.

 

Parágrafo 1º - A quantidade de animais que avançarão às finais de competição da Categoria Amador e Amador Limitado será definida pela Diretoria, na convocação para a competição. A quantidade de animais que avançarão às finais de competição da Categoria Aberta e Aberta Limitado consistirá de um mínimo de 02 (dois) e no máximo de 25 (vinte e cinco) cavalos, obedecendo o seguinte critério:
a) Até 25 animais - Não haverá eliminatórias
b) De 26 à 40 animais - Serão classificados 60% mais um para as finais;
c) Mais de 40 animais - Retornaram para as finais 25 animais.

 

Parágrafo 2º - Se for necessário que um cavalo se retire das finais, a posição não será ocupada e o cavalo retirado da competição receberá toda a remuneração devida a ele.

 

Parágrafo 3º - O cavaleiro poderá ser substituído até 01 (uma) hora antes da competição.

 

Parágrafo 4º - A substituição de cavaleiros, após o início da competição, somente será permitida mediante a comprovação do acidente e aprovação da Diretoria da A.N.C.R. Caso a Diretoria não esteja presente, este correrá sub-judice, com julgamento posterior à competição.
 

Parágrafo 5º - Quando houver provas classificatórias, a entrada dos competidores para a final será determinada pela ordem crescente de pontuação.

Artigo 36º - O juiz poderá conceder ao cavaleiro uma nova chance de mostrar seu cavalo, se julgar que este cavaleiro foi atrapalhado em sua apresentação por razões alheias à sua vontade. Nesta hipótese, o juiz deverá comunicar a Diretoria imediatamente, sendo certo que a nova apresentação do competidor será depois do último competidor da categoria.

 

CAPÍTULO VII CONDIÇÕES DE AMADOR

 

Artigo 37º - Um amador será definido como qualquer pessoa que não tenha apresentado, treinado, ensinado ou assistido direta ou indiretamente o treinamento de um cavalo visando remuneração ou qualquer compensação, não estando incluídos prêmios recebidos em competição de rédeas.

 

Parágrafo 1º - O pagamento de inscrições e/ou despesas por qualquer pessoa que não o amador, seus familiares ou sua empresa, é considerado remuneração.

 

Parágrafo 2º - O cavalo montado por um amador deverá ser de sua propriedade ou de seus pais, filhos, netos, avós, irmãos, esposa, enteados, meio-irmão, padrasto ou madrasta, pais do padrasto ou madrasta.

 

Parágrafo 3º - No caso do cavalo ser de propriedade de uma pessoa jurídica ou de co-propriedade, deverá ser indicado um sócio representante durante o ano hípico e este terá estendido aos seus familiares, os mesmos direitos concedidos à pessoa física, tal como disposto no Parágrafo 2º deste artigo.

Artigo 38º - A Diretoria da A.N.C.R. ou quem por ela indicado terá o direito de rever em detalhes qualquer transação que diga respeito à compra ou venda de um cavalo, quando montado por um amador. Aquele que desrespeitar esta regra, dificultar ou não entregar qualquer documento ou informação solicitada, estará sujeito à sanção disciplinar.

Artigo 39º - Ao efetuar sua inscrição na categoria amador, o competidor e o proprietário do cavalo estarão declarando que o competidor preenche todos os requisitos para competir nesta categoria, sendo certo que ambos responderão por qualquer irregularidade.

Artigo 40º - Qualquer dúvida quanto à legitimidade de um competidor amador deverá ser enviada por escrito à Diretoria por um Termo de Reclamação, que concederá prazo de 30 (trinta) dias para o competidor se defender. Esgotado o prazo, a Diretoria decidirá o caso na primeira reunião subsequente, aplicando as penalidades ao competidor, se estiver convencida da irregularidade apontada no Termo de Reclamação ou de outra qualquer.

 

Parágrafo Único - Se a Diretoria concluir que um amador fez declaração falsa, o mesmo perderá todos os pontos e ganhos adquiridos no ano hípico da violação, e estará sujeito aos procedimentos disciplinares. Todos os prêmios recebidos deverão ser devolvidos à A.N.C.R., a qual passará a ser de proprietária dos mesmos, sendo certo que os prêmios em dinheiro serão devolvidos com a devida atualização monetária.

Artigo 41º - Um profissional para retornar à Categoria Amador, poderá fazê-lo após o período de 03 (três) anos sem treinar ou apresentar cavalos de terceiros, enquadrando-se neste período nas condições estabelecidas no artigo 36 deste Regulamento.

 

CAPÍTULO VIII DISPOSIÇÕES DIVERSAS

Artigo 42 - Nenhum cavaleiro e/ou proprietário deverá abusar ou maltratar nenhum cavalo. O abuso é definido como uma ação, ou ato falho, o qual uma pessoa prudente, informada e experiente, conhecendo técnicas de treinamento e procedimentos de exibição consagrados, determinaria como sendo cruel, abusivo ou prejudicial a saúde do cavalo.

 

Parágrafo 1º - Se tiver provado que o animal sofreu abuso sob quaisquer circunstâncias abaixo mencionadas, o indivíduo sofrerá punição;

a) O Indivíduo participa fisicamente do abuso do animal ou apresenta o cavalo em condições consideradas abusivas;
b) O indivíduo designa-se ele mesmo expositor no formulário de inscrição da apresentação;

 

Parágrafo 2º - Todos os proprietários e cavaleiros devem conhecem e aceitar os Estatutos Sociais, Regulamentos e Penalidades da A.N.C.R.

 

Parágrafo 3º - Todo Cavalo desclassificado por motivo de abuso perderá o direito aos eventuais ganhos recebido no evento. Tais ganhos materiais serão revertidos para A.N.C.R.

 

Artigo 43 - O Juiz deve indicar com marcas na cerca ou parede da pista, a extensão do percurso.

 

Artigo 44 - O valor da anuidade cobrada dos sócios será fixada pela Diretoria e terá vencimento no dia 10 de Janeiro do ano em vigência, podendo ser parcelado.

 

Parágrafo Único. Os novos sócios pagarão a anuidade proporcional a quantidade de meses restantes para completar o exercício.

 

Artigo 45º - Este regulamento entra em vigor neste dia 10 de julho do ano de 2001.

 

Fonte: http://www.ancr.org.br/regulamento.asp